06 agosto, 2008

Uma criança adoptada menos filho do que uma criança parida?

Hoje de conversa com um tipo que conheço, contava-lhe que este ano, no mês de Outubro, se tudo correr bem, seremos mães eu... pela via da adopção e a mulher de um amigo meu, que tem parto previsto para o final desse mês.
E de repente, sai-se ele com a conversa de que não é a mesma coisa!

Realmente a mesma coisa não é! Porque não vou parir a minha filha e porque ela foi muito mais desejada do que montes de putos que nascem todos os anos!

7 comentários:

Elsa disse...

Mas tu ainda ligas a isso?? lol

Deixa-os falar... tu é que sabes o quanto a desejam ;) :*

Anónimo disse...

E eu a pensar que os retrogrados já tinham emigrado todos...

Como alguem refere em cima "Deixa-os Falar..."

Olinda Dinis disse...

Vozes de burro não chegam ao ceu, diz o ditado popular ;)

Girstie disse...

Que estupidez!!! Diz-se que pai e mãe é que dá carinho, quem ama. Suponho que seria melhor andares a vida toda a submeter-te a tratamentos que te íam desgastar só para tentares parir uma criança enquanto que há tantas por esse mundo a precisar de amor, carinho, de um lar e de uns pais como vocês!!!!

MoonWolf disse...

E quem é q falou em tratamentos???

Estasse a falar de adopção... não de fertilidade...

Quantas pessoas adoptam mesmo depois de terem filhos biológicos?

Não é um último recurso, mas sim uma opção de vida... Uns escolhem uma via, outros escolhem outra...

Diferenças?? Existem algumas, mas as maiores ainda são na cabeça das pessoas...

Beijocas e toca a andar para a frente... q é para aí q é o caminho....

avidade1rabaneta disse...

Encontrei-te!
Temos de ouvir cada disparate.... é só gente ignorante. Não se trata de fertilidade ou infertilidade, trata-se de escolher um caminho. E digo-te que este caminho que escolhemos é lindo e vamos passear na rua de mão dada com os rafeiros e toda a gente vai olhar para nós roídos de inveja.
Qdo começei em pensar em adoptar e contei a algumas pessoas, perguntavam-me se eu tinha uma filha biológica pq é q eu estava a adoptar?! Eu fico feliz por ser assim, se os outros conseguem ser felizes, ainda bem para eles. Hoje em dia sem dúvida q o meu grupo de amigos é mais reduzido.
bjos, dou notícias e fica prometido o cafezinho antes de a ires buscar :)
Sandra

Nenhuma mulher é uma ilha disse...

Ohhhhhhh, não fazia ideia.
Parabéns!!!!

Não é a mesma coisa. É fácil amar quem nós geramos. É nosso, aprendemos a amar ainda dentro de nós. Muito mais dificil é amar um filho dos outros como se fosse nosso.
Na realidade és melhor pessoa só por isso, por optar dar uma vida melhor a uma criança ao invés de por outra num mundo em que tantos não sabem o que é ser amado. Parabéns por isso também.