04 janeiro, 2010

Sobre a adopção internacional

... e no dia em que a TVI passou uma reportagem sobre o tema...
Só me apraz dizer que a melhor coisa que fiz na vida, foi ter rumado a Cabo Verde para ir adoptar a minha filha. E se há coisa que ainda não me permite gozar em pleno esta acção, é a falta de um papel que é tão importante e que tarda em chegar e que vamos a ver se não me vai obrigar a um acto extremo como uma greve de fome.

Mas... ir deitar a minha filha e no meio das gargalhadas, ela dizer "Estou tão contente", vale por todas as lágrimas, todos os gastos, todos os momentos de desespero e por todas as lutas que já enfrentei e que ainda vou ter que enfrentar para a ter.

5 comentários:

Rosana disse...

olá Sofia.Ninguém imagina a falta que um papel faz, só quem passa mesmo por isso.
No início o que importa mesmo é tê-los nos nossos braços mas depois queremos fechar o ciclo e falta-nos o tal papel.
Vi a reportagem de que falas com a minha Inês ao colo. Com os seus 5 aninhos de sabedoria imensa dizia-me 'eu também não tinha mamã, papá e mano' e aconhegava-se em mim.
Tão bom :)
um beijinho

Sofia (TORKY da APF) disse...

Que esse papel venha rapido e o que te desejo. Beijinho

avidade1rabaneta disse...

oh como eu te percebo....
Um bj grande e Feliz 2010. Vai ser este ano que vamos ter o bendito papelito.

Sandra

Carla disse...

Boa tarde Sofia,

A Sofia não me conhece mas temos em comum o facto de termos o mesmo escritório para nos apoiar em Cabo Verde, só que a Sofia já tem a sua princesa e eu espero e desespero pela mim, por isso venho aqui ao seu cantinho para ganhar forças para continuar a luta, uma luta que sei que vai valer a pena.
Ser mãe é tudo o que desejo.
Carla

Girstie disse...

Espero que não seja necessário chegares a um extremo maior para teres esse tal papel. Deviam aplicar o simplex nestas situações quando observam que a criança e a família são felizes e se enquadram. E ao que leio aqui, é o que acontece mesmo!

beijos