14 março, 2007

Afinal o que vai ser o meu projecto final?

Acho que já está na altura de verem onde me fui enfiar! Ou seja... vou deixar aqui o texto que mostrei ao meu orientador de mestrado para lhe explicar o que queria fazer... e só vos posso dizer que ele ficou entusiasmado, passou-me algum medo pelo facto de ver onde me ía meter e claro que complicou a coisa!

Então cá fica! Espero que tenham paciência para ler!

Hoje em dia, e com todos os avanços científicos e tecnológicos, a esperança média de vida aumentou, vivendo-se cada vez até mais tarde.
É de tal forma, que conceitos como o de terceira idade estão totalmente desadequados e
ultrapassados, tendo-se subdividido em terceira e quarta idades.
Com este aumento da esperança média de vida, aumenta também o tempo de reforma. Ou
seja, partindo do pressuposto que a idade de reforma está fixada nos 65 anos, podemos admitir mais 15 a 20 anos de vida. 15 a 20 anos reformado, e em muitos casos sem desempenhar qualquer actividade que os faça sentir úteis.
Por outro lado, a nossa sociedade desenvolve-se a uma velocidade na qual o tempo escasseia,
sendo sempre pouco para tudo aquilo que se pretende fazer.
As pessoas não têm tempo para os seus descendentes, quanto mais para tomar conta dos seus
ascendentes.
Geralmente colocam-se duas opções: Ou são literalmente despejados em lares, aguardando a
morte, ou se mantêm nas suas casas (no caso de não serem severamente dependentes) onde sempre viveram, com mais ou menos independência.
Neste caso, constata-se que são, normalmente casas arrendadas há muitos anos, degradadas
e totalmente desadequadas para os idosos que lá habitam.
Este cenário é, muitas vezes, potenciador de uma das principais causas de morte dos idosos:
as quedas.
Muitos deles estão sózinhos, por morte do companheiro, aumentando a sua solidão.
Esta dispersão acarreta enormes despesas para os serviços de apoio social, que existem e que
lhes prestam algum auxílio.

Com este projecto pretende-se fazer algo para mudar este cenário. Pretende-se criar uma
habitação ideal para um idoso, tendo em conta todas as suas especificidades, quer sejam ao nível da ergonomia ambiental, dos estímulos sensoriais, das cores utilizadas, tudo tendo em vista a utilização por parte dos idosos.
Para além disto, e como este projecto se reveste de um grande teor social, pretende-se que o
seu custo seja o mais baixo possível, produzível através de uma pré-fabricação modular, podendo ser instalados em qualquer lugar.

Como podem ver... tenho pouco trabalho pela frente! [suspiro]

6 comentários:

Cereja Vampira disse...

Parece um tema muito interessante sem dúvida,gostei de ler!

Bom trabalho... ;)

Zaka disse...

Ainda hoje um ex-professor meu, cuja opinião prezo muito, não seja ele a ser o primeiro a ter o endereço do meu blog, veio cá ler o texto e ficou entusiasmado e achou que é um tema muito útil e isso é muito importante para provar a viabilidade e interesse do projecto para o jurí! Claro que entre outras conversas sobre mocas de comprimidos e tal, lá me disse que é um trabalho muito trabalhoso e que promete dar-me muitas noites de sono sem dormir! Mas... disse que me ajuda! E isso é que é importante! :D

kandi disse...

Acho que aqui podes dar um passo importante na "arquitetura de interiores" adequada a essas pessoas. Como sabes, nesse caso tenho uma familia peculiar, um avô com 83 anos, avó com 76 e osteoperose já num grau muito avançado e como se não bastasse, com eles mora o meu tio, que sofre de uma deficiencia mental desde a nascença, que tem 50 anos, mas precisa dos cuidados de uma criança de 2. A casa dos meus avós (que eles habitam, como bem disseste, desde 1970, prai) foi agora remodelada há coisa de 2 anos para conveniência e felicidade de todos. Contudo, quem fez o projecto não pensou nos problemas fisicos da minha avó, nem se lembraram de como custa 2 idosos meterem uma pessoa de 50 anos que mal se mexe numa banheira numa casa de banho de 3m2 onde a porta abre para dentro. Quase que dá vontade de rir...

Já te tinha falado na foto-reportagem da minha colega, sobre o dia-a-dia de uma idosa de 83 anos que lutava quotidianamente pela vida, já a procurei mas infelizmente não sei mesmo onde foi parar a miuda (não conheço ninguém de fine arts...), mas prometo que a vou continuar a procurar!

De qualquer forma não tens que ter medo desse projecto, acho que só precisas de um encorajamento, porque não tenho a minima duvida que te vais safar e com muito sucesso.

Beijinhos!!! **

MoonWolf disse...

Gosto imenso do tema q escolheste.. Diz-me muito, pessoalmente... Sempre tive um carinho muito especial por quem tivesse cabelitos brancos.. Não sei se era a calma e serenidade q passavam, se a experiência de vida... Os velhinhos sempre foram a minha paixão... Adorava ouvi-los falar, horas e horas a fio... grandes lições...

E, aproveitem enquanto podem, pois muitos querem aproveitar e já não os têm... :(

Beijo e espero q consigas levar a bom porto este teu projecto... Tu mereces e, estou certo, muita gente tb merece q se pense neles...

Zaka disse...

Só para deixar aqui o comentário que hoje o Coordenador do Mestrado de Ambientes, disse do meu projecto: Falámos sobre o facto de ser muito interesante, socialmente útil e politicamente controverso! E ele aproveitou para dizer que eu devia ter dados estatísticos sobre os números de idosos a viver sózinhos e os que vivem em lares! Oh my god!!!!! Mais toneladas de cenas para ler e para pesquisar!
Desejem-me sorte!

Kuma disse...

boa sorte aqui está um tema interessante que infelizmente passa ao lado da sociedade não que se queira mas lá calhou...pode ser que com algo deste genero as pessoas comecem a abrir os olhos e a melhor a vida dos "nossos avós"

beijokas