05 fevereiro, 2009

Infantário

Hoje apetece-me falar sobre isto..
Por ora a Kuka não vai para o infantário.
Não vejo necessidade disso, uma vez que eu trabalho a partir de casa, logo posso sempre tê-la por aqui. E no fundo, considero que ela aqui está melhor o que enfiada 8 horas num infantário. E como ainda não encontrei um onde ela pudesse estar apenas 3 ou 4 horas, e que me deixasse pagar apenas isso, vou tendo a pikena por casa.
E até resulta... como ela é dorminhoca, consigo trabalhar de manhã... e à tarde como ela é calminha, consigo ir dando uns toques no trabalho e ir olhando por ela e mesmo brincar com ela um bocadinho... e depois dela ir para a cama, sempre posso continuar a trabalhar. 
A dificuldade prende-se com as reuniões com os clientes... e com as eventuais idas às lojas e coiso e tal. Nessas alturas tenho que a deixar com alguém... os meus pais, ou amigos. Mas não há crise, pois ela porta-se bem e está toda a gente desejosa que a deixe lá.

Posto isto, porque é que será que tenho ouvido comentários que mostra que existe muita gente a achar que estou a ter uma atitude criminosa para com a minha filha, não a colocando no infantário? Eu não sou contra os infantários! Acho que os putos devem brincar uns com os outros e sei que eles lá desenvolvem defesas e mecanismos de auto-sobrevivência que não desenvolvem em casa, mas será que é assim tão vital para uma criança de dois anos, que há 4 meses sofreu uma mudança drástica de vida, ir já para a selva que são os infantários?
A psicóloga que nos acompanha acha que não!
Eu acho que não!
O gajo tem é inveja de não poder ficar também em casa!
Logo... os outros que se lixem! :P

Mas... só para descansar qualquer cabecinha que possa ficar preocupada... nós andamos à procura de um infantário para a Kuka.. um que possamos pagar sem que eu fique a ter um ataque cardíaco ao ver a conta... um onde não olhem para a Kuka como sendo um extraterrestre porque tem um tom de pele e os pais outra... um onde eu sinta que vão ensinar qualquer coisa útil à minha filha e que eu não consigo ensinar em casa. Quando eu encontrar isso tudo... lá meto a Kuka no infantário.. até porque eu... no fundo não sou uma mãe galinha!

8 comentários:

Cor do Sol disse...

Como Educadora de Infância, não acho mal que a Kuka fique em casa durante este ano. O ideal mesmo era que as crianças apenas fossem para o Jardim de Infância apenas no pré-escolar, ou seja, aos 3 anos. Aí sim...penso ser essencial. Eles têm outras necessidades e estimulações, que por mais que queiramos não podemos dar em casa.

Contra mim falo, pois não haver crianças em Creche significa menos emprego, profissonalmente só é bom que vão antes dos 3 para a Creche. No entanto, se um dia tiver filhos e tiver com quem os deixar só irão para a escola aos 3.

Via ser dificil arranjar um Colégio que aceite a criança apenas por umas horas e por menos dinheiro. Para além, da parte do pagamento que faz falta às instituições, há também o problema da rotina. Eu só deixo as minhas crianças virem mais tarde ou irem mais cedo em situações excepcionais. Uma criança que entra ou saí a meio da rotina do dia da sala só é prejudicial para ela, para os colegas e para a equipa educativa. Vai perder actividades ou vai interrompê-las.

Há crianças que ficam demasiado tempo na escola. O tempo educativo é suficiente. O resto é para encher chouriços, infelizmente.

Normalmente a rotina educativa das crianças dá-se entres as 9h/9h30 - 16h/16h30. Havendo pelo meio o almoço e a hora de descanso.

Tenho na minha sala um menino da cor da Kuka e a mãe é branca. Tenho outro branco e o pai é da cor da Kuka. Temos meninos adoptados, a viver com avós, só com a mãe. Hoje em dia já ninguém olha para as crianças como "extraterrestres" (espero eu), temos que olhar para elas como pessoas com individualidade própria e o resto são pormenores.


Que testamento :)

Beijo

C.F. disse...

Que bem que me fez ler este teu post e principalmente o comentário da Cor do Sol. Eu acho que se até aos 3 anos e se te for possível deverás ficar com a Kuka e permitir que ambas desfrutem disso.
A verdade é que o dilema Infantário/Empregada Doméstica tem-me perseguido nos últimos tempos, sem que consiga tomar uma decisão. Por um lado tenho medo de deixar os meus filhos em casa com alguém que não conheço, por outro o valor a pagar pelas mensalidades de 2 bebés são assustadores e muitas vezes incomportáveis. Tento pensar apenas no que será melhor para eles e mesmo assim as dúvidas continuam...
Por agora (hoje :-)), acho que a opção de ficarem em casa até aos 3 anos ganhou força.
Manual de instruções de "como ser mãe" precisa-se! Urgente!!!
Beijinhos.

Zaka disse...

Muito, muito obrigado Cor do Sol, pelo que escreveste.
Eu realmente penso como tu!

Eu só andei no infantário 1 ano. Entrei com 5 anos, porque antes disso fiquei com a minha mãe em casa, que sempre foi doméstica. Nunca senti que tenha sido prejudicada por não ter ido para o infantário mais cedo! Ok, que eu tinha uma irmã para chatear (se bem que ela como mais velha do que eu 4 anos, andava na escola e eu ficava a manhã toda sózinha) e a minha mãe tinha mais disponibilidade que eu, que apesar de estar em casa, lá vou tendo que trabalhar!
Mas mesmo assim, penso que consigo estimular a Kuka o suficiente! :D

C.F. Eu não sei de onde és... e aliás, isso é importante que eu saiba, por causa "daquilo"... Mas aqui ao pé de mim, os preços rondam os 320 euros... por criancinha! E em sítios que não considero nada de especial! Ora... 320 x 2 ... mais o que poupas em gasolina e outras coisas, é um ordenado (pelo menos de muita gente que eu conheço)!

@me@@@ disse...

Mas quem pensa isso??' deve ser algum parolo/a... na minha opinião ela está muito melhor em casa, com os pais, ainda é tão novinha... tem ainda muito tempo para lidar com a selva dos infantários!!! Acho que fazes muito bem... faz o que a tua cabeça e coração mandam, os outros que se lixem!!!

Girstie disse...

Eu cá acho que fazes bem :) Sobretudo porque a Kuka está cá há pouco tempo e tem tempo de ir para o infantário aprender essas coisas todas. Talvez daqui a um ano.
Acho que a partir dos 3 anos é que é boa idade, quando começam a ser mais independentes. Infelizmente hoje em dia os pais têm um ritmo de trabalho que têm de os pôs aos 4 meses na creche. Aproveita esse tempo mother-daughter. E tenta um infantário público.

Jorge Freitas Soares disse...

Olá

Também acho que vai ser difícil arranjares um infantário barato.... e acho que fazes muito bem em ter a miúda contigo.... ela já terá muito tempo para infantários e escolas pela vida fora, e nesta altura, cada momento contigo... é um momento ganho, um momento de carinho e amor que ela ganha.

Jorge

Maria Manuela disse...

Não tens não Zaka... Eu já trabalhei num infantário... Antes dessa experiência achava que aos 12 meses os pais deviam era meter as crianças em colégios porque ajudava a desenvolver e o convívio e tal e tal...

Depois dessa experiência, acho francamente que se for possível os pais devem mater as crianças em casa (com eles, com os avós)... Até porque vocês fartam-se de sair e de receber pessoas, por isso falta de convívio é coisa que a Kuka não tem.

Mas esta é só a opinião da tia emprestada....

:)

Yashmeen disse...

Eu também tenho o escritório em casa e um filho de dois anos e meio. Aqui em Espanha há a possibilidade de as crianças irem apenas cinco horas por dia para o infantário, custando em média 200€. O meu vai pelo convívio com as outras crianças.