29 dezembro, 2007

People change

Ainda há dias senti nitidamente que mudei enquanto pessoa.
Por mais que vos possa parecer estranho, o facto de ter feito o meu mestrado, e de por causa disso ter estudado tão afincadamente a população idosa, fez-me ter mais carinho e paciência para a minha avó, que nunca foi uma pessoa dócil enquanto eu fui pequena.
Depois pus-me a pensar e realmente percebi que isto da malta ir acalmando com a idade tem uma certa razão! Não que esteja velha, que diabos, tenho 27 anos e sinto-me uma jovem, mas o que é um facto é que perdi um bocado daquela impulsividade e agressividade que tinha na adolescência! E ainda bem! :D
Hoje, se bem que ainda seja casmurra que nem uma porta e expluda com facilidade, demoro mais uns segundos a fazê-lo e perdoo mais depressa, facilitando assim a minha convivência com as pessoas.

Mas... custa-me ver que algumas pessoas de quem sou amiga, continuam a ser casmurras, impulsivas e teimosos que nem uma porta!

4 comentários:

Sara Oliveira disse...

Mas tu sabes bem que nem todas as pessoas têm perfil para mudar.
Mantêm-se igual porque acham que é assim que deve de ser.


Beijinho


P.S. Eu já tinha visto a loja do beco escuro. Tá muito bem conseguida ;)

PsiPages disse...

Gostei muito do blog! Vou passar por aqui mais vezes.
Parabéns!

Girstie disse...

"custa-me ver que algumas pessoas de quem sou amiga, continuam a ser casmurras, impulsivas e teimosos que nem uma porta!" - faço minhas as tuas palavras. Ainda ontem comentei isso com umas amigas em relação a uma outra amiga. As pessoas por vezes não têm a capacidade de reconhcer que erram e de perdoar. Em vez disso culpam-nos a nós e ainda nos tentam fazer sentir culpadas. Mas quando se tem a consciência tranquila :)

MoonWolf disse...

Começando do fim para o princípio...

Casmurro e teimoso, é comigo... Mas isso não me faz má pessoa, pois não? Principalmente, pq isso não se sobrepõe a outras coisas, né??? :)

Agora, tocaste num campo q sempre me disse muito... os velhotes... Desde pequenote q os cabelos brancos me fascinaram... não sei se pela calma, se pela sabedoria... Mas sempre me senti bem perto deles... e q belas recordações tenho dos meus avós, q me criaram, da D. Adélia, cheia de sabedoria, conhecimentos e muitas histórias lindas e empolgantes, passando por tantas outras...

Ainda bem q as pessoas mudam...

Beijos grandes...